quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Carla Cruz, Marco Berrettini e Gérald Kurdian na abertura do 5º Circular Festival de Artes Performativas

De 19 a 26 de Setembro decorre a 5ª edição do Circular Festival de Artes Performativas, em diversos locais de Vila do Conde. A abertura do Festival acontece com o projecto desenvolvido em residência artística "Utopias, Ciborgues e Outras Casas nas Árvores" de Carla Cruz. A proposta da artista foi abrir o processo de criação artística à população, concretizada na oficina "Utopias Ciborgues e Outras Casas nas Árvores" que decorreu em Julho de 2009 em Vila do Conde, cujo resultado será agora apresentado entre 19 e 26 de Setembro, em vários locais da cidade, de acesso livre.

O Circular prossegue com o regresso de Marco Berrettini e a companhia *Melk Prod. (França) a território nacional, com uma dupla apresentação no Festival, com "Freezan/Défreezan" a 19 de Setembro, Sábado, às 21h30 no Auditório Municipal de Vila do Conde, e com "Freezao/Défreezao" a 20 Setembro, Domingo, às 21h30, também no Auditório Municipal. Estes dois espectáculos integram trilogia "Clean/Décline" iniciada em 2001 por Marco Berrettini e companhia *Melk Prod.

Ainda a 19 de Setembro, Sábado, pelas 22h30, o performer, compositor e artista de rádio, residente em Paris, Gérald Kurdian apresenta "1999" um projecto em construção para um musical sci‐fi lo‐fi, desenvolvido a partir dos 48 episódios e cenários da série televisiva de ficção científica "Espaço 1999".

No âmbito de "1999", Gérald Kurdian irá tentar extrair ao imaginário, à cinética e às dinâmicas políticas da série televisiva de ficção científica “Espaço 1999”.


No segundo fim-de-semana do Circular, a Mala Voadora apresenta a 25 Setembro, Sexta‐feira, 21h30, no Teatro Municipal de Vila do Conde, a peça "Chinoiserie". A história da chinoiserie – um estilo decorativo – é uma história de apropriação de tradições, de contrafacção, de originais que servem de modelo a cópias, de cópias que servem de modelo a originais, de equívocos ocidentais sobre o Oriente, de equívocos orientais sobre o Ocidente, e de naturais oportunismos mercantis, eles próprios produtores de cultura.


“Uma peça encomendada” é um projecto de performance, com concepção e interpretação de Joclécio Azevedo, a ser apresentado no Circular Festival de Artes performativas, em Vila do Conde, que decorrerá a 25 e 26 de Setembro, às 19h00, no Auditório Municipal de Vila do Conde. A peça será construída a partir de contribuições de pessoas que, sendo ou não potenciais espectadores da obra final, queiram participar na sua construção assumindo-a como uma “encomenda” aberta e personalizável. É o regresso do coreógrafo ao Circular Festival de Artes Performativas, depois de em 2005 ter apresentado no Festival o trabalho "Em Resumo".

O encerramento do Festival acontece a 26 de Setembro, Sábado, às 21h30, no Auditório Municipal de Vila do Conde, com a peça "Vice-Royale. Vain-Royale. Vile-Royale" de Sónia Baptista, uma performance que convoca as linguagens conceptuais e emocionais da dança, do cinema, da música e da poesia, que apresenta e representa três personagens femininas deslocadas e desditosas numa sugestão de terras e tempos distantes. A interpretação está a cargo de Sónia Baptista e Rogério Nuno Costa, com as peças "The Curator’s School" e "Espectáculo de Teatro".


Os bilhetes custam entre 7,5€ (normal) e 5€ (desconto para menores de 30 anos, maiores de 65 anos e desempregados).

Este ano, o Festival disponibiliza pela primeira vez o Passe Circular: 25€ (válido para todos os espectáculos).
Os bilhetes estão à venda no Teatro Municipal de Vila do Conde (de Terça-feira a Domingo, das 14h às 19h), no Auditório Municipal de Vila do Conde (duas horas antes do início dos espectáculos) e nas lojas FNAC de Matosinhos, Porto e Vila Nova de Gaia (Telefone - 760 30 93 30). Mais informações através do telemóvel 92 629 40 53 ou em www.circularfestival.com

Como já vem sendo habitual, no decorrer do Festival terão lugar conversas entre os artistas e o público, proporcionando o diálogo sobre os processos de criação desenvolvidos. Estará também patente uma mostra bibliográfica, que pretende dar a conhecer projectos editoriais na área das artes performativas publicados em Portugal.


A 5ª edição do Circular conta com o apoio da da Câmara Municipal de Vila do Conde e da Direcção-Geral das Artes/ Ministério da Cultura.


Programa completo em www.ciruclarfestival.com